quinta-feira, 7 de maio de 2009

Bem-vindo!

video

65 comentários:

  1. Olá José Silva. Parabenizo pela iniciativa de abrir este espaço democrático para um debate sobre uma ação pública fundamental para o desenvolvimento de nosso pa´s: "A extensão rural".

    ResponderExcluir
  2. Caro Ditmar,
    Nossa expectativa é de que cada vez mais a sociedade esteja consciente do papel da Extensão Rural como ferramenta de viabilizar políticas públicas para o desenvolvimento sustentável do país.
    Vamos juntos!
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  3. Olá Dr. José Silva.
    Saudações rubro-negras(pelo Flamengo e o Vitória-BA né!!!).
    Parabéns pela iniciativa. Idéias inovadoras como essa facilita cada vez mais o contato entre o Governo de Minas, todos os extensionistas e quem mais se interessar pela Extensão Rural, estaremos assim cada dia mais próximos do sucesso e a o desenvolvimento que a Extensão Rural realmente merece.
    Vamos juntos como você disse.
    Abraços
    Jose S. Júnior

    ResponderExcluir
  4. Boa Tarde!!! José Silva,

    Que bom ter mais uma espaço para podermos compartilhar idéias, e aprender a cada dia.

    "A natureza faz pensar na unidade da variedade: as flores, ainda que diversificadas entre si, desabrocham juntas na estação que desperta, assim como os frutos amadurecem juntos na estação da colheita"

    ResponderExcluir
  5. José Silva

    Parabéns pela edição deste espaço de debate. Com certeza os extensionistas terão muito o que contribuir para o enriquecimento do blog. A discussão em torno desta causa vai gerar muitos frutos. E sua liderança nos dá força para enfrentar os desafios que estão só começando. go!
    Quaresma

    ResponderExcluir
  6. Olá Júnior,
    Futebol a parte. Até porque Flamengo e Cruzeiro estão "bem na fita"...
    A Extensão Rural cada vez mais se consolida como política de Estado.E as ferramentas modernas de TI nos aproximam.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  7. Cara Claudia,
    Boa tarde. É muito bom plantar. Mas melhor ainda quando cuida-se bem da lavoura e a colheita é farta.
    Assim também espero que seja este espaço.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  8. Olá José Silva, Parabéns pela iniciativa de um Blog para debater temas relevantes para o desenvolvimento rural e em especial a Extensão Rural.
    Estamos aqui para debater hoje contigo e os participantes em seu Blog.
    Saudações
    Hur Ben

    ResponderExcluir
  9. Caro Quaresma,
    A cada dia que temos oportunidade de conhecer as diferentes realidades deste país. Desperta também a necessidade de cidadania. E, é este nosso propósito...
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  10. Amigo JSS
    Você sempre inovando de forma a potencializar a comunicação, a transparência e o "chega mais perto". Parabens por esta iniciativa do blog. Tenho certeza que este canal vai permitir não somente fortalecer as relações que permitam dar maior sustentabilidade a nosso trilhar da ATER como também compartilhar os pensamentos de todos aqueles que lutam por melhor qualidade de vida no segmento rural e os consequentes benefícios à sociedade em geral. Abraços e estaremos mais presentes neste caminhar.

    ResponderExcluir
  11. Olá José Siva,
    Para que haja sustentabilidade da Extensão Rural sugerimos: satisfação em 100% dos nossos clientes, resgatar a Extensão com suas caraterísticas, escolhendo com mais critério na hora da seleção, extensionistas que tenham vocação e que de fato venham resolver os problemas dos agricultores.
    Também achamos que a Extensão Rural tem que ser tratada de modo diferenciado por região. O cliente na Zona da Mata tem um grau de entendimento diferente do Noroeste.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns também pelo espaço, caro Zé Siva. Aí vai uma contribuição para aumentar a sustentabilidade da extensão rural: É hora de evoluir (uma segunda fase) dos programas sociais como o Fome Zero e Minas sem fome. Apesar do Minas sem fome ser mais "inteligente" por não dar a comida, mas "estimular o plantio", também precisa evoluir para não continuar como doação. Daí nos vem um exemplo concreto que foi executado em parceria com a EMATER-MG com coordenação do mais brilhante extensionista que conheci: Benito Marangon e o Programa PRO RENDA RURAL.
    Imagino projetos de investimentos comunitários e individuais a eles associados, financiados para reenbolso com produto e aquisição institucional direta, como os Programas de aquisição de alimentos da agricultura familiar. Veja que o mesmo recurso iria gerar investimentos (emprego e renda), retornaria como alimentos de alta qualidade (para merenda escolar, hospitais, restaurantes populares, etc...), e fomentaria a gestão e organização comunitária . O PRO RENDA nos deixou muitas experiências positivas.

    ResponderExcluir
  13. Caro Hur Ben,
    Obrigado por ter aceitado nosso convite para este espaço de debate. Como afirmamos em várias oportunidades, sua história de extensionistas e também como um excelente formulador de políticas públicas pode enriquecer muito nosso debate. Na sua visão, qual é hoje o maior desafio da Extensão Rural?
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  14. Caro Willy,
    Um abraço ao nosso acadêmico- o representante de Minas na Academia Brasileira de extesnão Rural-ABER. Pela sua vivência de Extensão, qual a contribuição que esta Academia pode dar para a sustentabilidade da Extensão Rural no país?
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  15. Caro manoel,
    Concordo com você que extensionista além da formação acadêmica é preciso ter perfil. E toda equipe tem a cara do líder. Por isso o grande noroeste de Minas tem uma equipe comprometida com o desenvolvimento sustentável.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  16. Zé Silva,

    Você traz para o debate um tema importante para nós extensionistas, a sustentabilidade da ATER.

    Este espaço pode nos sinalizar estratégias e alternativas para aprofundar este debate, com a participação dos extensionistas do Brasil.

    Vamos acreditar!!

    Helena Silva

    ResponderExcluir
  17. Caro Afranio,
    Realmente o grande desafio (nosso- extensionistas ) do Estado brasileiro é viabilizar políticas públicas emancipadoras. Também que o Minas Sem Fome tem conquistas sociais importantes. A primeira é realmente não dar alimentos e sim a oportunidade de cada um produzir, ser descentralizado, ter gestão social,etc. E ele vem evoluindo. Veja que hoje pela manhã estivemos na cidade de Ribeirão das Neves acompanhando um projeto do Minas Sem Fome, que é de avicultura familiar. No primeiro momento as famílias receberam pintainhas e ração. Hoje receberam as chocadeiras e não vão mais precisar do programa. Mas voce tem razão que temos que avançar muito.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  18. Caro José Silva
    A criação de espaços para o debate da extensão rural é necessário. Ela já está posta no cenário governamental, cabe agora ganhar os campos.
    Universalizar a extensão rural é a meta almejada, atender a cada agricultor familiar do nosso país é o alvo que não perderemos de vista.
    Parabéns pela iniciativa, estamos aqui para contribuir, principalmente no foco educacional e considerando a Pedagogia da alternância.
    Atenciosamente,
    José Maria Barbosa de Jesus
    Consultor PNUD/SAF/DATER

    ResponderExcluir
  19. Que tu és um empreendedor com uma visão extraordinária, isso todos já sabem.
    Pessoas empreendedoras temos muitas, seu diferencial é o uso desse seu adjetivo em prol de uma causa.
    A Extensão Rural, sempre foi tratada como coadjuvante no cenário do agronegócio brasileiro, e com sua Gestão frente a EMATER-MG e principalmente na ASBRAER essa Extensão coadjuvante está se transformando numa Extensão Protagonista.

    Abraços e muito sucesso.

    Walter Gusmão

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. Caro Zé Maria,
    Estamos vivendo um momento muito especial da Agricultura familiar e da extensão Rural. Graças ao alinhamento estratégico dos diversos atores protagonistas das políticas públicas brasileiras.Por isso a responsabilidade de cada um aumenta mais. E um dos pilares desta sustentabilidade é fortalecer o carater educativo da extensão rural como política de Estado.
    Um abraço,
    José Silva

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde, José Silva.
    Parabéns pela brilhante iniciativa de se criar mais esse espaço de comunicação, o que só vem fortalecer a nossa extensão rural, sobretudo a de Minas Gerais, sob sua competência e liderança. Entendemos nós que a sustentabilidade da extensão rural se dará com maior ênfase quando a união (governo federal) assumir este papel, desvinculando a responsabilidade por este serviço dos municípios (convênios), com a execução de um trabalho com mais presença no campo, junto ao produtor e sua família, numa proposta semelhante ao PSF, em sintonia com a Prefeitura Municipal, mas sem submissão.

    Um abraço...

    Amdréia, Antônio Eustáquio, Cézar, Eloízia, Graça, Jarbas, José Reis, Leolina, Tiago.

    ResponderExcluir
  23. Caro Walter,
    A causa é nobre. Um serviço que já tem 60 anos é sem dúvida nenhuma um serviço essencial para a sociedade, como é educação, saúde e segurança.
    Vamos juntos!
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  24. Qual é o maior desafio para a Extensão Rural hoje?
    R - São vários os desafios! Entre eles eu destacaria a necessidade de mudar. O mundo muda rapidamente e os imperativos também. Agora o maior deles é o ambiental, mas também a questão da inclusão de da produção de alimentos sadios são fundamentais. A outra questão é como assegurar serviços públicos de Extensão Rural para todos os agricultores familiares e assentados da reforma agrária. Hoje chegarmos a menos da metade das familias. É uma situação tão séria, no seu mérito, quanto a saúde, educação e moradia. A Lei da Ater e um PAC da Ater são iniciativas que podem contribuir para mudar este quadro. Quem acha?
    Saudações
    Hur Ben

    ResponderExcluir
  25. Caro José Silva
    Que boa oportunidade você me oferece para divulgar um pouco sobre a Academia Brasileira de Extensão Rural/ABER que seguramente nossos companheiros devem estar se perguntando sobre a sua existência e atuação. Neste momento estamos consolidadndo as sua bases filosóficas norteadoras, como Missão, Visão, Objetivos,
    recursos humanos, financeiros etc.E com seu apoio já conseguimos grandes avanços e já, já estaremos mais presentes no nosso estado e no país em geral. Mas, a Academia vai contribuir com o fortalecimento da ER a partir de ações voltadas para a preservação e conservação da identidade histórica e intelectual da ER e difundindo seus princípios, valores e saberes. Contribuindo na organização do pensamento acadêmico nas instituições de ensino que são a base para a construção do conhecimento assim como o são também as experiências exitosas e ações inovadoras que nos são peculiares entre os extensionistas de todo o país. Em resumo, a ABER como fruto da intelectualidade da ER deverá servir como referência de ER para a sociedade Brasileira e para o poder constituído servindo assim de parámetro para a elaboração de políticas públicas para sociedade rural e a agricultura familiar em particular.

    Abraços a você e a todos que são a ER viva.

    Willy Gustavo

    ResponderExcluir
  26. Caros Colegas de Salinas,
    Realmente a bandeira que a Asbraer vem procurando insenir no debate das questões nacionais é mudar a forma de repasse do governo federal para os estados- sair dos burocráticos convênios. E também o aumento destes recursos por parte do governo federal. Mesmo reconhecendo o grande avanço nos últimos anos,a participação do governo federal ainda é de 10%, enquanto os estados garantem 80%...
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. Cara Helena,
    Nossa expectativa é ser um espaço cidadão.
    Em relação as estratégias para a sustentabilidade aproveito pra convidar todos pra estarem em Brasilia no dia 09 de junho as 9h30 no Senado para uma audiência pública sobre a sustentabilidade da Extensão Rural. É uma parceria da Asbraer,MDA, com a Frente Parlamentar em Defesa da Extensão Rural no Senado e na Câmara Federal, criada em 2005.
    Vamos encontrar lá...]
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  29. Caros Willy e Hur Ben,
    Na audiência pública do dia 9 de junho no Senado também pretendemos ter audiência com os Ministros Guilherme Cassel e José Múcio- do MDA e Articulação Política,respectivamente. Neste momento estaremos propondo ao governo federal a criação do PAC da Extensão Rural. Que é uma decisão da Asbraer tirada na última assembléia geral do dia 31 de março. Mas já é um assunto que vem sendo gestado a um ano.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  30. Sobre Sustentabilidade...
    Um dos problemas mais graves que se enfrenta no país é a descontinuidade das políticas, programas, planos e projetos governamentais.
    A aprovação da Lei Geral de ATER será um passo fundamental para a consolidação do serviço. Quanto a sustentabilidade, penso que a caminhada ainda é longa e deve partir de uma nova relação governo/comunidade. O que acham?

    ResponderExcluir
  31. Caro José Silva,

    Fico muito feliz em perceber os avanços que a extensão rural é capaz de proporcionar, e radiante em saber que faço parte desta história!

    Parabéns pela iniciativa!

    Grande Abraço

    Thiara

    ResponderExcluir
  32. Apesar de todos os avanços nos últimos anos, resultado de ação conjunta governo e sociedade, e destaco o papel da ASBRAER neste processo; a Extensão Rural ainda não tem o status de um serviço público essencial. Vejamos: apenas em torno de 50% dos mais de 5 milhões de famílias da agricultura familiar tem acesso a estes serviços. O mesmo acontece com o crédito, o qual também depende da Ater. Estes agricultores produzem 70% dos alimentos básicos e sabemos que a segurança alimentar é uma prioridade para os brasileiros. Temos bons exemplos de Extensão Rural pública no país, entre eles desponta a Emater-MG, e estes bons exemplos nos mostram um caminho a seguir. Portanto, é preciso que aqueles que acreditam na ATER, na Agricultura familiar e no desenvolvimento rural sustentável, continuem apoiando a Extensão Rural e lutando para o seu reconhecimento. A luta não está vencida!
    Saudações
    Hur Ben

    ResponderExcluir
  33. É muito bom saber que além do debate as ações já estão sendo implementadas. É desta forma que as transformações acontecem. O Hur Ben relata com propriedade os desafios da ATER hoje, mas acreditamos nas mudanças. Já avançamos muito e nesta audiência pública ja agendada, com certeza mais força teremos, com a ampliação do debate sobre a sustentabilidade de ATER.

    ResponderExcluir
  34. Ilmo.Presiedente da Emater-MG
    Sr. José Silva

    Primeiro parabenizo pelo trabalho que vem desempenhando a frente da Emater-MG, e desta forma criando a sustentabilidade da mesma que ganha respeito e confiaça no cenário nacional a cada dia. Sendo o trabalhos de ATER inerente ao desenvolvimento das pessoas que dele dependem, esses desafios passam a ser nossas bandeiras de luta. E a grantia da sustentabilidade será adquirida com a continuação dos trabalhos de qualidade a ser desenvolvidos, ganhando assim a confiança e respeito dos parceiros.

    ResponderExcluir
  35. Caro José Silva,

    Nos últimos 08 anos a extensão rural em Minas ,teve o sopro da modernidade, transparencia,mudanças que tornou a ação do extencionista . Hoje somos agentes de políticas publicas. Graças a sua visão, empreendedora a extensão Rural e principalmente a ectensão rural publica é reconhecida. No entanto a questão da burocracia da liberação crédito tem causado morosidade na implantação dos projetos. Como as Emateres e a ASBRAER pode contribuir para agilizar este processo.

    ResponderExcluir
  36. Olá! Mais você mais uma vez inovando e Eu mais do que nunca crescendo com cada um dos que aqui contribuem!
    Há momentos em que nos perdemos por completo, não sabemos onde ir, onde começar e nem onde recomeçar, mas na Extensão sempre acontece algo diferente a cada instante.
    E aos que reclamam do tempo: que nunca tem tempo pra fazer tempo, que o tempo é pouco pra tudo que precisamos fazer, acredito que esse tempo tem sido fundamental para que possamos ter o reconhecimento de tudo aquilo porque lutamos.
    E é olhando para o futuro que sigo o ditado que diz que os bons exemplos são para ser seguidos.

    Sucesso sempre!!!

    ResponderExcluir
  37. Como disse, acho este espaço importante para o debate do desenvolvimento e das políticas públicas para o rural? Quando teremos uma oportunidade de debater novamente?

    ResponderExcluir
  38. Presidente, parabéns por esta iniciativa! é sem dúvida, um espaço muito importante para o bom diálogo sobre o desenvolvimento sustentável bem como, aprimorarmos o engrandecimento das políticas públicas em nosso Estado de Minas e no Brasil!.Acredito, que este Blog será uma ferramenta para a troca de experiências dentro da extensão rural, no sentido do crescimento cada vez mais da nossa EMATER-MG, e de todos os colegas que nela trabalham.
    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  39. Oi Amigo Ze Silva,
    Estou atrasado pois o Acre fica bem no inicio do mundo.
    Te parabenizo pela iniciativa. Não podia ser diferente, sendo vc a pessoa intrépida e inovadora que é.
    A sua inteligencia alida a tua força de vontade nos dá orgulho não só por ser vc um soldado da extençao como tb privar de tua amizade.
    Vá em frente.

    Um grande abraço daqui desse pequeno Estado que teima em ser brasileiro e diferente.

    Nilton Cosson

    ResponderExcluir
  40. Caro José Silva,

    Como sempre inovando e nos surpreendendo com sua visão de futuro bastante aguçada.
    Este blog é mais uma iniciativa que merece os parabéns.
    Sua iniciativa é nobre pois a extensão rural tem um papel fundamental no desenvolviomento deste país.
    As discussões que se desenvolverem neste novo espaço oferecido por você darão um novo rumo a vida de pessoas simples e batalhadoras que são os agricultores familiares e, um cenário de novos desafios para a atuação dos incansáveis extensionistas rurais desta nação.

    Um abraço,

    Marcos
    Passos-MG

    ResponderExcluir
  41. Prezado José Silva,

    Como sempre, utilizando a tecnologia em favor da Extensão Rural, ampliando visões e aproximando as pessoas.

    Através desta brilhante iniciativa, mais uma vez inovadora, estaremos sempre juntos em prol do mesmo objetivo, o de uma Extensão Rural, assim como a tecnologia, sem fronteiras e oportunizando o desenvolvimento de toda sociedade.

    Sabemos que é a partir desse conhecimento adquirido através destes debates e informações partilhadas que poderemos maximizar a eficácia dos trabalhos da ATER no Brasil, fazendo todo mundo se manter informado e em constante evolução, sempre estimulados a atingir objetivos e romper qualquer barreira.

    Parabéns e sucessos sempre!

    Clarissa Ferreira de Souza - BH

    ResponderExcluir
  42. Parabéns Zé Silva pela vitória na ASBRAER e também pelo aniversário pp.
    Muita saúde, paz, alegrias e sucessos.

    Sandra/ Varginha

    ResponderExcluir
  43. Parabéns Zé Silva pela vitória na ASBRAER e também pelo aniversário p

    Muita saúde, paz, alegrias e sucessos.

    Sandra/Varginha

    ResponderExcluir
  44. Presidente,

    Parabens por mais este espaço de Educação Corporativa e Educação para a Vida.
    Gostaria de destacar o papel da Educação Corporativa na sustentabilidade da extensão rural. Uma vez que a promoção da educação nas empresas de Ater, será de fundamental importancia para atuação (efetiva e eficaz) das pessoas na vida institucional.

    Paz e bem

    Valmar

    ResponderExcluir
  45. Caro José Silva,

    Sugiro que cada ideia seja transformada em uma postagem, tendo como título a sugestão apresentada para a sustentabilidade da Extensão Rural. Exemplos: A ideia de Walter Gusmão seria postada com o seguinte título: "Como evitar a descontinuidade das políticas, programas, planos e projetos governamentais?". A de Hur Ben, "Qual é o maior desafio para a Extensão Rural hoje?".
    Acredito que isso vai facilitar o debate!

    Samuel Junior
    Emater-RN
    Assú

    ResponderExcluir
  46. Caro Walter,

    Um dos pilares da sustentabilidade da extensão rural é fortalecer o caráter educativo da extensão rural como política de Estado. Mas também precisamos de mudar a forma de repasse de recursos do governo federal para os estados. Precisamos sair dos burocráticos convênios e conseguir mais recursos do governo federal, que hoje ainda participa com 10%, enquanto os estados garantem 80%. Tenho certeza que, juntos, vamos avançar cada vez mais e garantir a sustentabilidade desse serviço, tão essencial para todas as famílias.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  47. Cara Thiara,

    Sabemos que 60 anos de extensão rural são a certeza de quão fundamental é o serviço para o país e que conseguimos nos adaptar à realidade, adequar aos tempos e promover grandes avanços que refletem diretamente na melhoria da qualidade de vida das famílias. Neste momento de bons resultados, também temos a certeza que precisamos fazer muito mais. O caminho é longo e com muitos desafios, mas temos aliados e companheiros preparados para, juntos, garantirmos uma vida melhor para as famílias.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  48. Caro Hur Ben,

    Com certeza a luta não está vencida. Temos um longo caminho pela frente, sendo nosso grande desafio o reconhecimento da extensão rural com serviço público essencial. Hoje já temos a convicção do reconhecimento da Ater como uma das alternativas para reduzir as desigualdades sociais e econômicas no campo, entre as pessoas e entre as regiões. Mas precisamos mais. Temos que garantir a sustentabilidade desse serviço.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  49. Cara Helena,

    Com certeza, mais que debate, estamos promovendo. É como dizem os agricultores: "antes a Emater nos ajudava a fazer projetos. Agora ela tira os projetos do papel". Isto é importante! O discurso não pode ser vazio. É preciso ações concretas e resultados reais e felizes. Queremos famílias realmente com mais renda, mais alimento, mais segurança, mais dignidade e mais sonhos. E vamos avançar muito mais. Vamos chegar a todos os cantos, atendendo a necessidade local e respeitando as pessoas.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  50. Caro Paulo,

    O trabalho de todos os extensionistas, em Minas e nos demais estados, tem garantido o reconhecimento da extensão rural e a confiança das famílias. Estamos juntos nesta luta para garantir a continuidade dos serviços de estensão rural e o reconhecimento como serviço público essencial.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  51. Cara Mara,

    A modernização, transparência e inovação são diretrizes do próprio governo de Minas que, com o choque de gestão, mudou a forma de atuação do governo no Estado. E sabemos que isto é fundamental para garantirmos mais qualidade, agilidade e resultados no serviço público. Mas, com certeza a burocracia na liberção do crédito é algo que nos preocupa. No dia 09 de junho, quando estaremos em audiência pública sobre a sustentabilidade da extensão rural, também pretendemos ter uma audiência com os ministros Guilherme Cassel e José Múcio, para propor ao governo federal a criação do Pac da Extensão Rural.
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  52. Zé Silva,

    Gostaria de parabenizá-lo por mais essa iniciativa. Com certeza este espaço de discussão vai contribuir muito para o desenvolvimento da extensão rural no Brasil. Todos nós temos muito a ganhar com este ambiente cooperativo.

    ResponderExcluir
  53. Caro Nilton,
    O Acre é muito brasileiro. Destaco que voces estão realizando um brilhante trabalho sobre serviços ambientais. Tenho certeza que é o melhor do país...
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  54. Caro Sotero,
    Realmente ser extensionista é mais que uma profissão é um compromisso social. E hoje nossa maior bandeira é conseguir que toda sociedade brasileira reconheça a Extensão Rural como um serviço essencial...
    Vamos juntos!
    Sds,
    José Silva

    ResponderExcluir
  55. José Silva,

    Inicialmente é com muita satisfação que cumprimento-o pela brilhante condução frente a EMATER MG e ASBRAER.

    Mais que isso, agradeço a oportunidade de gerenciar na EMATER MG, um dos trabalhos mais significativos na minha vida profissional - ACADEMIA DE SUCESSORES E DESENVOLVIMENTO GERENCIAL. Nós, profissionais de Gestão com Ênfase em Pessoas, sabemos que não são apenas as maiores empresas que promovem essa oportunidade de crescimento profissional e pessoal para seus colaboradores, principalmente, as MELHORES.

    Portanto, cabe-me reiterar neste oportuno espaço, meu compromisso de atuar nesse contexto tão significativo para a Extensão Rural.

    Um abraço

    Eugenia Nicolato

    ResponderExcluir
  56. Zé Silva,
    Parabéns por mais uma inovação, como se diz na ASBRAER você é "águia" mesmo. Muito sucesso, nesta nova empreitada e com certeza estarei presente neste grande debate que é Extensão Rural e seu futuro, bem como os outros assuntos que irão surgir por aqui. Um forte abraço
    Hector

    ResponderExcluir
  57. José Silva,
    Acredito que a assistência prestada por extensionistas de Ater é de suma importância em propriedades familiares onde necessita-se de tantos esclarecimentos a respeito dos diversos aspectos de bem-estar familiar e sustentabilidade na agricultura familiar. Para tanto, como ja esclarecido pelo Hur Ben, realmente é necessário que o país alcance toda essa parte da população que será imensuravelmente beneficiada. E como tais assistências levam informações e norteiam essas famílias desde práticas agrícolas até questões de saúde ou educacionais, é de extrema prioridade para o desenvolvimento e bem-estar familiar.

    ResponderExcluir
  58. foi um prazer descobrir coisas novas, alem de comentarios intrigantes sobre a extensao rural sendo ela de suma importancia para os avanços na agricultura sustentavel
    um abraço

    ResponderExcluir
  59. Gilson e Júlio disse :

    Respondendo à pergunta do Hur Ben: Qual é o maior desafio para Extensão Rural hoje ?
    A demanda de alimentos aumenta a cada dia, havendo cada vez mais a necessidade de produzir mais. Mas como conseguir isso com sustentabilidade ? Esta é a pergunta que todos fazem.
    Desenvolvimento sustentável propõe a conciliação entre desenvolvimento socioeconômico, gerando riquezas, conforto, emprego etc., aliado conjuntamente ao conservacionismo. Essa proposta leva em consideração o uso racional dos recursos naturais, pois afinal de contas não seremos a ultima geração da Terra.
    Se não houver conscientização acerca desse tema o que a geração presente deixará será: solo pobre, atmosfera poluída, falta de água, sem biodiversidade, em suma a biosfera toda alterada e suja.
    O desenvolvimento sustentável não atingiu um nível concreto de aplicabilidade em suas perspectivas, ou seja, parece ser um projeto que todos apreciam, mas ninguém o coloca em prática. Para aplicação, pelo menos parcial, de uma política de desenvolvimento sustentável é preciso que o governo crie condições favoráveis à aquelas pessoas que vivem da atividade extrativista, o incentivo ao ecoturismo e a qualquer atividade que possa gerar renda e que ao mesmo tempo essa renda dependa da conservação do meio-ambiente.

    ResponderExcluir
  60. Caro José Silva, a sustentabilidade da extensão rural realmente é um desafio. Hur Ben bem disse, ao se referir que um dos grandes desafios é o ambiental. Entretanto, realmente não se pode esquecer da produção de alimentos, pois a agricultura familiar contribui majoritarimante com isso. Mas, é preocupante a situação de não haver assistência técnica a todos os pequenos produtores. Então cabe a todos nós, estarmos informados para podermos contribuir para que a sustentabilidade da extensão rural realmente aconteça.

    Um passo importante pode ser dado ainda no âmbito da universidade, onde os professores podem orientar os acadêmicos a pensar em extensão rural, e enxergar a realidade dos agricultores familiares. E é sempre bom lembrar que tudo que se aprende aqui, na universidade, deve ser repassado, levando em consideração ensino-pesquisa-extensão. O conhecimento não pode parar.

    Cabe ainda parabenizar e agradecer pelo espaço para discussões.

    Abraço
    Heliselle

    ResponderExcluir
  61. Prezado Zé Silva,

    Sobre a sustentabilidade na Extensão Rural, concordamos com as colocações de Hur Ben sobre as questões ambientais e também sobre a produção de alimentos sadios, necessários para promover a sustentabilidade na extensão rural. Também apoiamos a colocação de Walter Gusmão, quando este diz que "Sustentabilidade é uma caminhada longa, e deve partir de uma nova relação governo/ comunidade".
    Conte com o nosso apoio na busca do reconhecimento da E.R como serviço público essencial.
    Nós da Unimontes buscamos contribuir com a Sustentabilidade através de pesquisas que estão sendo desenvolvidas, visando atender as necessidades dos agricultores do Norte de Minas Gerais e demais regiões, não esquecendo das questões ambientais e de produção de alimentos seguros.

    Abraços

    Patrícia Leite e Kelem Silva Fonseca
    (Acadêmicas do 9ºperíodo de Agronomia da Unimontes)

    ResponderExcluir
  62. Caro José Silva,
    Concordo com o Hur ben, e acho que mesmo diante de tantos avanços na Extensão Rural o reconhecimento ainda é tímido frente a importância da Agricultura tal como qualquer serviço público essencial à população,acho que o tema Sustentabilidade e Extensão Rural pode ser incorporado com sucesso dentro da formação dos profissionais da área agrária, é importante destacar que dentro das universidades existem boas saídas para resolução dos principais impasses acerca do assunto.
    Obrigado e Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  63. Caro José Silva,
    Agradeçemos pela oportunidade desse espaço para troca de conhecimentos e a possibilidade de discutirmos acerca de assustos emergentes como estes, já que somos estutandes inseridos em uma região onde a agricultura familiar é tão expressiva e carente de assistência técnica, um espaço como este nos leva a repensar nossos objetivos e responsábilidades como futuros técnicos.Pois acreditamos que à aplicação de um programa de ATER bem estruturado e focado para as diferentes realidades que encontramos no campo pode mudar o quadro da Agricultura Familiar no Brasil.

    Atenciosamente,
    Keila e Thiago.

    ResponderExcluir
  64. Caro José Silva,
    Concordamos plenamente com as sabias palavras do Sr. Hur Ben.
    Sabemos que o trabalho dos Extensionistas é de grande importância para o desenvolvimento sustentável do nosso país, embora ainda se tenha muitos entraves a serem quebrados, visto que vemos diferentes realidades.
    Esperamos que como futuros Engenheiros agronômos e Extensionistas, possamos contribuir para a mudança mais sustentável do nosso país.
    Desde já, parabenizamos pelo seu trabalho e agradecemos pela oportunidade de podermos estar discutindo esse assunto de grande relevância.
    Atenciosamente,
    Thallyta e Antônio Carlos

    ResponderExcluir
  65. Caro José Silva,
    como sempre surpreendendo, proporcionando um espaço tão moderno e inovador e nos dando a oportunidade de crescimento através dos debates realizados neste espaço.Assim você faz com que todos acreditem na extensão rural.
    Abraços!
    Aurea

    ResponderExcluir